sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Conto sem fadas

'Romeu, você sabe que te quero bem...
Mas sua distância me consome e seu ciúme me aprisiona.
Um tempo, vamos dar um tempo.

Beijo, Julieta.'


Era uma vez uma menina delicada que preferia o bandido ao mocinho.
O príncipe vivia preocupado com o topete enquanto cavalgava no cavalo branco. Já o bandido, não estava nem aí e saía em disparada no cavalo mais veloz que pudesse encontrar.
O mocinho era babão e enfadonho, e só a fazia feliz no final. Ela queria ser feliz agora... No máximo daqui a pouquinho.
Queria emoção, reboliço, estardalhaço. E o príncipe... combinava com pasmaceira.
Por isso gostava do bandido: ele deixava a barba por fazer, arranhava. Usava palavras lascivas, não fazia questão de agradar.
Tanto fez que um dia conquistou o mau elemento.
Apaixonado, o bandido já não usava os modos costumeiros. Trazia flores, escrevia poesia rimada, usava gel.
A mocinha agora o tinha nas mãos.
Incorfomada, roubou o primeiro cavalo que conseguiu encontrar. Despreocupada com o penteado, fugiu sem olhar para trás.



13 comentários:

LandNick disse...

Hehehe! Que delícia de "Conto sem fadas"! Eu falei "sem fadas" !! Porque acho que a outra coisa, teve muito! rsrsrs

Manuel Pintor disse...

Conto sem fadas, mas com bandidas! :-)

Moni. disse...

É... É o cheiro de liberdade que a vida emana que encanta... Essa vontade de querer mais.

E não é um posto, um status. É algo mais, é tônico da vida!

Inconformada e desejosa, não bastou ter o bandido. Foi preciso ir além. Foi preciso ser.

Maravilha de conto, com ou sem fadas, pulsante e real, Flah! Adorei a reflexão!

Beijo, beijo!

@David_Nobrega disse...

Lembrei do Wilson Simonal e seu (dele) "Lobo Bobo". Ficou bem bom :-)

Danielly Tiepo disse...

Oiiiii

passando só pra conferir as novidades...
ta lindo como sempre!

beijosss

http://blogdatiepo.blogspot.com/2010/08/novidades.html

Camila Olf disse...

Ah, qual garota nao prefere um "vilão" do que um "mocinho"?!
Eu adorei esse post s2

beijos :*

Camila Passatuto disse...

Julietas, princesas, meninas, mulheres...Todas da mesma essência.

Texto breve e leve.

Muito bom.

Stella disse...

É... esse 'bandido'está muito mais interessante que o 'mocinho'... É pra ser um conto, mas qta realidade... Depois da conquista, vira um tédio só. Muito bom. Bj!

Sati Kaos disse...

Nem mocinho, nem bandido a liberdade dos cabelos aos ventos!

Nanda disse...

O amor tem as mesmas tendências, qualidades ou defeitos, sendo o cara bonzinho ou bandido. Mas os bandidos dão mais trabalho e pior, a gente gosta...

Achei uma explosão de sentir esse texto!

Beijos Fla!

despidos disse...

Um viva à liberdade dos descabelados !

minutoamais disse...

Gostei do blog e do post ;)

Flavia Tankian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário